domingo, 1 de julho de 2012

AULÃO NO DEPTº INFANTIL – EBD – SOBRE A FOGUEIRA DE SÃO JOÃO

AULÃO NO DEPTº INFANTIL – EBD – SOBRE A FOGUEIRA DE SÃO JOÃO

Lição Bíblica: Cadê a Fogueira de João?
Objetivo: Que a criança aprenda a estar atenta no estudo da Bíblia e dar testemunho das verdades contidas nela.

Versículo:
João 3.30 Convém que ele cresça e que eu diminua.

Visuais:
Desenhos Bíblicos - Histórias Inesquecíveis - Vol. 8, Marcelo Lieuthier
Introdução:
Quando chega esse período de Junino, o que vivenciamos nessa época? (deixar as crianças responder) Como é contada a história do nascimento de João Batista? (deixar as crianças responder) (observe se elas vão falar sobre a fogueira de São João, quadrilhas, comidas típicas, fogos e etc.
Hoje vamos aprender como de fato ocorreu essa história!



Andamento:
A história do nascimento de João Batista é registrada unicamente no Evangelho Segundo Lucas cap. 1.
Nos vers. 3 e 4 nos diz:
“igualmente a mim me pareceu bem, depois de acurada investigação de tudo desde sua origem, dar-te por escrito, excelentíssimo Teófilo, uma exposição em ordem, para que tenhas plena certeza das verdades em que foste instruído.”
Nestes vers. aprendemos que precisamos estudar a Bíblia com muito zelo é por isso que temos a EBD (Escola Bíblica Dominical), para nos ajudar neste momento tão precioso de nosso crescimento espiritual.

O Evangelho Segundo Lucas nos fala que existiu um casal chamado Zacarias e Isabel, eles eram dedicados a Deus, e passavam uma grande vergonha por não ter um filho se quer. Mas num certo dia, Zacarias que pertencia a uma ordem (grupo) de Sacerdotes foi escolhido para entrar no templo e queimar incenso, era um privilegio muito grande para quem fosse escolhido. O Sacerdote escolhido entrava no templo, e o povo permanecia do lado de fora aguardando a sua saída.

Enquanto Zacarias estava dentro do templo, o Anjo Gabriel lhe apareceu e lhe trouxe uma boa notícia. A oração foi atendida, Isabel dará a luz a um filho e seu nome será João. (v. 11-13).

Mas Zacarias não acreditou na Palavra de Deus que veio através do Anjo Gabriel e foi repreendido ficando mudo até o dia em que nasceria o seu filho (v. 18-25).


Enquanto isso o povo estava do lado de fora, preocupados com a demora de Zacarias, mas quando ele saiu não podia falar nada, estava mudo como o Anjo lhe disse. Quando terminou o seu serviço no templo voltou para casa e Isabel ficou gravida como o Anjo lhe falou.

v. 26-38. Passado seis (6) meses o Anjo Gabriel apareceu agora na casa de Maria que morava em Nazaré da Galiléia, e lhe disse que não temesse porque Deus achou graça você diante dEle, e que foi escolhida para ser a mãe do Salvador do Mundo.

O anjo Gabriel também lhe disse que Isabel sua parenta estava gravida com o tempo de 6 (seis) meses. Maria sabia que Isabel não podia ter filhos, pois era estéril. Mas para Deus nada é impossível completou o Anjo.

Assim que Maria ficou sabendo da grande bênção de Isabel sua parenta ela foi ao seu encontro, ao chagar lá, permaneceu por mais 3 (três) meses. (v.56)

Vamos pensar um pouco e fazer uma conta matemática:
Isabel já estava com 6 meses gravida + 3 meses que Maria ficou com ela = 9 meses. O tempo exato de uma gestação.

A Bíblia não diz que Maria voltou antes ou depois do nascimento de João, mas provavelmente foi depois. Creio que ela não iria voltar antes do nascimento, mas gostaria de estar presente naquele momento tão especial da vida de Isabel.

Nasceu João, e no oitavo dia como era o costume, foram circuncidar, o menino e queriam dar-lhe o nome de Zacarias igual ao seu pai, mas Isabel disse que a criança iria se chamar João, então foram consultar a Zacarias que havia ficado mudo e lhe deram uma tabua para que ele escrevesse o nome do menino foi aí que ele voltou a falar e todos ficaram maravilhados com aquele momento.

Zacarias cheio do Espírito Santo profetizou, dizendo:
v.76 Tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque precederás o Senhor, preparando-lhe os caminhos.

O menino cresceu e se fortaleceu no Espírito Santo de Deus.
Quando João já era um adulto, ficou conhecido por João Batista, porque ele batizava as pessoas.

Ele pregava a vinda do messias, e que o povo também se arrependesse de seus pecados e se batizassem. João estava cumprindo a profecia de Isaias – que haveria uma voz clamando no deserto e preparando o caminho do Senhor. Muitas pessoas aceitaram realmente a sua mensagem e outros fingiram acreditar.

A Bíblia nos diz que somos remidos (perdoado) de nossos pecados pelo sangue de Jesus – Efésios 1.7.

Quando chegou o tempo Jesus foi ao encontro de João, para ser batizado, Jesus não precisava confessar pecados, por que Ele é perfeito, mas João tinha que apresentar o messias tão aguardado pelo povo.
Quando João viu Jesus chegando, ele declarou – EIS O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PEDADO DO MUNDO (Evangelho Segundo João 1.29).

No momento que João batizava Jesus, aconteceu algo bem interessante:

Lucas 3.22 (e o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea como pomba; e ouviu-se uma voz do céu: Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo).

Após o batismo de Jesus.
João deu o testemunho que dizia que ele diminuísse e Jesus crescesse. Evangelho Segundo João 3.30
João foi levado para prisão e moto. Ele havia cumprido sua tarefa que era anunciar a vinda do Senhor Jesus, o nosso Salvador de Senhor.



Hoje aprendemos algo muito importante o nascimento de João, mas alguns me disseram que na história do nascimento de João, Isabel tinha feito uma fogueira para anunciar a Maria o nascimento da criança. Mas onde estar a fogueira? alguém sabe?

Então de onde vem essa história.
A festa de São João Batista, o santo celebrado nesse período. Ainda hoje, a fogueira de São João é o traço comum que une todas as festas de São João europeias (da Estônia a Portugal, da Finlândia à França). Uma lenda (história inventada) católica cristianizando a fogueira pagã o festival afirma que o antigo costume de acender fogueiras no começo do verão europeu tinha suas raízes em um acordo feito pelas primas Maria e Isabel. Para avisar Maria sobre o nascimento de São João Batista e assim ter seu auxílio após o parto, Isabel teria de acender uma fogueira sobre um monte.

De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por Portugal).

Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.

Todos estes elementos culturais foram, com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros (indígenas, afro-brasileiros e imigrantes europeus) nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.

O livro de Deus nos ensina que precisamos examinar as escrituras para saber se de fato é assim o que nos ensinam sobre a Bíblia. No Evangelho Segundo Lucas diz (acurada investigação de tudo desde sua origem v.3).
Assim como João Batista deu testemunho de Jesus, nós também podemos dar esse mesmo testemunho. Um bom exemplo é convidar pessoas para virem a Igreja e participar da EBD.


Que Deus nos abençoe, e que este estudo fique guardado em nosso coração.
Marcelo Lieuthier – junho/2012

Um comentário:

  1. Estudo maravilhoso! Estava querendo um estudo assim para esclarecer minhas crianças. Muito obrigada Pr. Marcelo. Deus continue lhe abençoando!

    ResponderExcluir